São Paulo conduz há 462 anos

O brasão oficial da Cidade de São Paulo, com o lema em latim NON DUCOR DUCO, que traduzido significa ’’Não sou conduzido, conduzo’’.

No dia 25 de janeiro, a cidade de São Paulo comemora 462 anos. Um pouco sobre sua história.

No início de 1553, os padres jesuítas José de Anchieta e Manoel da Nóbrega teriam subido a Serra do Mar e procurado um local seguro para se instalar e catequizar os índios. Ao atingir o planalto de Piratininga concluíram que ali seria o ponto ideal, pois tinha “ares frios e temperados como os de Espanha” e “uma terra mui sadia, fresca e de boas águas.”

No dia 25 de janeiro de 1554 os religiosos celebraram uma missa num pequeno colégio que construíram. Essa data marca o aniversário de São Paulo. Daquela época, restam apenas as fundações das construções feitas pelos padres e índios no denominado Pátio do Colégio, afinal de contas, São Paulo, como a maioria das metrópoles americanas, não respeita seu patrimônio histórico que é constantemente destruído para dar lugar ao progresso.

A Vila de Piratininga esperou 157 anos para se tornar uma cidade chamada São Paulo. Nessa época, ela ainda era o ponto de partida das bandeiras, que eram expedições que cortavam e desbravavam o país. As bandeiras tinham por finalidade encontrar pedras preciosas, índios para serem escravizados e negros fugitivos das fazendas. Em 1815, a cidade se tornaria a capital da Província de São Paulo e doze anos depois ganharia sua primeira faculdade, a de Direito, no Largo de São Francisco, no centro da cidade. Daquele momento em diante, a cidade se tornou um núcleo intelectual e importante centro de decisões políticas. Em meados do século XIX, a expansão da cafeicultura acabou trazendo para cá imigrantes vindos principalmente da Europa. Em meados da década de 1890, mais da metade dos habitantes da cidade era formada por imigrantes. Isso deu um ar cosmopolita àquela que viria a se tornar a principal metrópole do hemisfério sul.

Durante a Era Vargas a elite e a população do estado, entraria em choque com o governo federal. Isso teria levado à Revolução Constitucionalista de 1932, que marcou a história da cidade. A revolução eclodiu no dia 9 de julho daquele ano. Cerca de 135 mil homens aderiram à luta, que durou três meses e deixou quase 900 soldados mortos no lado paulista – quase o dobro das perdas da FEB durante a Segunda Guerra Mundial. São Paulo saiu derrotado do ponto de vista militar, mas vitorioso do ponto de vista político, pois a Constituição de 1934 teve de ser promulgada por Vargas. Em 1934, a cidade viu o surgimento da Universidade de São Paulo, que mais tarde receberia professores como o antropólogo francês Claude Lévi-Strauss e ajudaria a constituir a elite pensante do país.

A década de 1940 também foi importante para a cidade. Ela se transformava rapidamente e ganhava importantes intervenções urbanísticas, principalmente no setor viário. Naquele momento também a indústria se tornou a principal atividade econômica da cidade. Na década de 1970 é o setor de serviços que passa a ganhar destaque na economia de São Paulo. As indústrias migram para os arredores da cidade, região conhecida como Grande São Paulo. A necessidade de um número cada vez maior de mão de obra acabou trazendo para a região, brasileiros de outros estados, principalmente do nordeste do país.

Hoje São Paulo é o centro financeiro não só do Brasil, mas de toda a América Latina. É a sexta maior do mundo e a décima mais rica, possui o que há de melhor em entretenimento, a maior frota de helicópteros do planeta, e a terceira em número de táxis, 6 milhões de automóveis particulares, 15 mil ônibus, 2.500 estabelecimentos de saúde, 200 instituições de ensino superior, hotéis de primeira grandeza, 15 mil restaurantes, 20 mil bares, 240 mil lojas, 260 salas em 55 cinemas, 164 teatros, 39 centros culturais, sua Região Metropolitana estendida cobre menos de 6% da área do Estado de São Paulo e tem uma população estimada de 11.513.836 habitantes, que corresponde a 25% da população do estado, uma área de 7.944 km2 e abrange 38 municípios, com a Cidade de São Paulo (1.525 km2) localizada em seu centro. Linhas de Metrô, Aeroportos de Congonhas, Cumbica, Marte e Viracopos, sede de grandes times de futebol, matriz dos maiores bancos, indústrias, lojas e tudo mais que merece, incluindo-se 622 quilômetros de litoral.

Como exemplo a Cidade de São Paulo tem uma cultura heterogênea, resultado dos povos de diversas nacionalidades que emigraram para o Brasil. Atualmente é a maior cidade com a maior população de origem italiana (diariamente são consumidas mais de um milhão de pizzas), japonesa, espanhola, libanesa fora de seus países. Mais de três milhões de paulistanos são de origem portuguesa. Esses imigrantes em São Paulo têm números superiores ao de muitas das cidades dos seus países de origem. Tem também a maior população de nordestinos fora do Nordeste.

Segundo o IBGE, a sua população heterogênea é composta de: brancos 63,91%, pardos 29,11%, negros 5,52%, amarelos 1,35%, indígenas 0,10%.

Como disse, fica difícil ressaltar as qualidades de São Paulo, onde tudo é mega. Isso provavelmente devido ao lema presente no seu brasão oficial, que diz o seguinte: “Non Ducor, Duco”, cujo significado em português é “Não sou conduzido, Conduzo”. Como se pode notar, São Paulo é uma cidade teimosa por excelência.

Todas essas coisas fantásticas de São Paulo são resultado da determinação de sua gente que ao longo dos seus 462 anos, construiu essa coisa espetacular que é São Paulo.

Parabéns e um grande abraço São Paulo pelas 462 velinhas que você apaga neste dia 25.

E para comemorar estes 462 anos, nada melhor que duas seleções musicais com temas, compositores e intérpretes que enaltecem a terra da garôa.

Seleção Coração Paulistano – OUÇA

01 – Demônios da Garoa – Isto é São Paulo
02 – Caetano Veloso – Sampa
03 – Adoniran Barbosa – Trem das Onze
04 – Tom Jobim – Te Amo São Paulo
05 – Adriana Ribeiro e Demônios da Garoa – Estação São Paulo
06 – 365 – São Paulo
07 – Tom Zé – São São Paulo, Meu Amor
08 – Beto Guedes – São Paulo (Coração do Tempo)
09 – Isabela Taviani – Ária Paulistana (Sinfonia 5 op  64)
10 – Joelho de Porco – Bom Dia São Paulo
11 – Pedro Luís e a Parede – Moto Boy
12 – Leila Pinheiro – Paulista
13 – Premeditando o Breque – São Paulo, São Paulo
14 – Reynaldo – Poeta (Homenagem a São Paulo)
15 – Sílvio Caldas – Perfil de São Paulo
16 – Zélia Duncan – Lá Vou Eu
17 – Francisco Petrônio – Rapaziada do Brás
18 – Trovadores Urbanos-Relógio da Paulista/Cidades/Av. S.João/Lua de Ontem/Serra do Mar
19 – Tom Maior 2008 – Glória Paulista, São Paulo na Vanguarda da Economia
20 – Barroca da Zona Sul 2009 – Alô São Paulo
21 – Eliana de Lima – Boa Noite São Paulo

Seleção Coração Paulista – OUÇA

01 – Alvarenga e Ranchinho – Eh! São Paulo
02 – Rolando Boldrin – Você Já Foi a São Paulo
03 – Tonico e Tinoco – As Paulistas
04 – Tião Carreiro e Carreirinho – Adeus São Paulo
05 – Tonico e Tinoco – Bandeira Paulista
06 – Chiquinha Gonzaga – São Paulo
07 – Corpo e Alma – Rumo a São Paulo
08 – Jorge Moisés – Pedágio de São Paulo a Rio Preto
09 – Rionegro e Solimões – De São Paulo a Belém
10 – Rud e Robson – Noite em São Paulo
11 – Trio Gaúcho – Percorrendo São Paulo
12 – Renato Teixeira – Paulistano do Interior
13 – Tonico e Tinoco – São Paulo Gigante
14 – Inezita Barroso – Lampião de Gás
15 – Rolando Boldrin – Paulistinha
16 – Garoto – São Paulo Quatrocentão 1954
17 – Banda da Polícia Militar de SP – Quarto Centenário (Mário Zan-J.M. Alves)
18 – Banda da Polícia Militar de SP – São Paulo Quatrocentão (Garoto-Chiquinho-Avaré)
19 – Banda Polydor – Treze Listas (Irvando Luiz e Pedro da Cruz Salgado)

Saiba mais sobre São Paulo:

Este post foi inserido sábado, 16/01/2010 às 21:03 e está arquivado em Notícias. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0 feed. Você pode deixar uma resposta, ou trackback através de seu próprio site.

Nenhum Comentário para “São Paulo conduz há 462 anos”

 

Deixe um comentário

Você precisa se cadastrar e estar logado para deixar um comentário.